sábado, 5 de outubro de 2013

Deputado estadual do Rio formaliza filiação ao PSOL


Do site do PSOL Nacional, Leonor Costa

Paulo Ramos iniciou sua militância na década de 60, atuando contra a ditadura, pela anistia e pela redemocratização do país. Como deputado constituinte, se destacou por defender os direitos dos trabalhadores


Nesta sexta-feira, 4 de outubro, o deputado estadual Paulo Ramos, do Rio de Janeiro, formalizou a sua filiação ao PSOL. A filiação ocorreu dentro do prazo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que permite que os novos filiados concorram às eleições de 2014.

Paulo Ramos iniciou sua militância política nos anos 60 e teve destacada participação na luta contra a ditadura, pela anistia e pela redemocratização do país. Como deputado constituinte (1986/1990), foi escolhido o Constituinte Nota 10 pelo DIAP (Departamente Intersindical de Assessoria Parlamentar), por ter defendido e votado em todos os direitos dos trabalhadores.

Eleito deputado estadual pelo PDT, o novo filiado ao PSOL deixou o antigo partido em agosto deste ano por divergências com direção nacional da legenda, especialmente com o presidente Carlos Lupi, ex-ministro do governo Dilma.

Em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, no dia 22 de agosto, Paulo Ramos afirmou que nos últimos anos o PDT vem adotando posturas equivocadas, especialmente a partir do segundo mandato de Sérgio Cabral, governador do Estado. “Antes, a direção apostou na desorganização do partido para que pudesse manter o controle. O PDT ficou sem diretórios em zonas eleitorais, em muitos municípios – aliás, sem diretórios em muitas unidades da Federação, chegando ao ponto de não ter diretórios em nove Estados. Se de um lado isso já era algo inaceitável, contra o que lutei, juntamente com muitos companheiros, buscando a redemocratização do partido, ou a democratização do partido, o que me levou a constatar que era impossível, inclusive, registrar uma chapa para disputar internamente com aqueles que se adonaram da legenda; por outro, depois, houve a negação, a mais descarada, de princípios os mais elementares, arraigados do programa partidário, e aí entendi insuportável a minha permanência na legenda”, ressaltou em seu pronunciamento. Segundo o deputado estadual, depois de muito apontar, internamente, os problemas do partido ele passou a ser alvo de processos disciplinares.

Antes mesmo de formalizar a assinatura da sua ficha de filiação ao PSOL, Paulo Ramos anunciou, na página oficial de seu mandato na internet, a entrada no partido e a disposição de fortalecer o PSOL no Rio de Janeiro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário