quinta-feira, 2 de maio de 2013

Operação Purificação - moralização dos quadros das Polícias Militar e Civil.


Tem havido várias ações, inclusive, com ampla publicação nos meios de comunicação, sobre envolvimento de policiais com práticas delituosas, com desvios de conduta. Não posso imaginar que haja um cidadão qualquer que não defenda a moralização dos quadros das Polícias, como também do serviço público de modo geral.
Como a divulgação e a ação envolve nome de pessoas é preciso que haja muito cuidado para que ninguém seja alcançado injustamente e tenha seu nome divulgado, porque as consequências são as mais danosas, não só para o atingido, como também para sua família.
Tomei conhecimento de que o PM, Sargento Ricardo Luís Ferreira Júnior, estando de serviço na cabine da Polícia Militar, no Calçadão em Bangu, numa ação espetaculosa, foi preso e a ação policial estava acompanhada de representantes da Rede Globo de Televisão. O Sargento Ricardo foi retirado da cabine, na presença de todos os passantes, teve sua carteira apreendida e foi levado para a delegacia. Mesmo tendo explicado que não tinha envolvimento com nada e que o numerário que estava na carteira resultava de saque, por ele feito, na agência bancária de sua própria conta, foi levado para a delegacia. Em lá chegando, a autoridade policial ouvindo tudo o que ele relatava, e comprovando imediatamente ser verdadeiro o seu depoimento, o liberou sem qualquer outra explicação.
Agora, o Sargento Ricardo Luís se sente sem condições psicológicas e sem outras condições para permanência no mesmo local de trabalho, porque será alvo, obviamente, de toda a execração.
A luta, as providências se são tomadas – como eles dizem – para depuração dos quadros da Polícia, são sempre bem-vindas. Mas, é preciso um cuidado muito grande para que inocentes não sejam envolvidos e fiquem com a honra alcançada sem possibilidade, depois, de buscar qualquer reparação.
A minha solidariedade e abraço ao Sargento Ricardo Luís Ferreira Júnior que, se depender de minha orientação, ele deve processar aqueles que praticaram esse excesso, criando dificuldades em relação à honra do sargento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário