quinta-feira, 25 de abril de 2013

Eike Batista deve ser investigado

Ocupo esta tribuna para tratar de uma figura muito emblemática que fez grande fortuna, chegando a ser apresentada como um dos homens mais ricos do mundo: o Sr. Eike Batista. E vinha ele sendo alvo também de todas as homenagens. Não só homenagens dos governos, dos bancos oficiais, como também da mídia, em especial, do sistema Globo.
Eike Batista vinha sendo paparicado de todas as formas, aliás, levando desgraça para muitas pessoas. Se nós formos consultar a população do 5º Distrito de São João da Barra… O 5º Distrito é uma área imensa desapropriada para beneficiar o Eike Batista e viabilizar, em parte, o chamado Porto do Açu, que também foi homenageado como sendo uma possível alavanca para a economia do Norte Fluminense.
E, agora, fui surpreendido. Há poucos dias atrás, Míriam Leitão, renomada colunista da área de economia do jornal O Globo, sentou a lenha no Eike Batista. Aliás, as denúncias feitas devem ser e serão encaminhadas ao Ministério Público, porque as denúncias contidas na matéria nos dão conta de que o Eike Batista cria empresas, cria subempresas, faz divulgações sobre os projetos da empresa, antecipa o sucesso, pega dinheiro em bancos públicos, recebe favores dos Governos e depois nada acontece. Prejudicados são aqueles incautos que também compram suas ações nas bolsas de valores. Aliás, o grande jornalista Hélio Fernandes dizia que ‘estávamos diante de um grande cassino’, referindo-se à bolsa de valores.
Hoje, no jornal O Globo, o sociólogo Demétrio Magnoli, também escreve um outro artigo: Eike, emblema e indício (Leia aqui  "EIKE, EMBLEMA E INDÍCIO") – o da Míriam Leitão se chamou: A Questão do X (Leia aqui "A QUESTÃO X" ). Demétrio Magnoli quase que reproduz o artigo de Míriam Leitão. Tem uma outra roupagem, mas os números, as manipulações, tudo aquilo que constava do artigo de Míriam Leitão, tudo, consta do artigo do sociólogo Demétrio. Ele ainda acrescenta aspectos da ancestralidade de Eike Batita, que, aliás, não tinham sido tratados no artigo de Míriam Leitão, quando ele diz que “a história de Eike é, antes de tudo, um emblema do Capitalismo de Estado brasileiro. Durante o regime militar, Eliezer Batista circulou pelos portões giratórios que interligavam as empresas mineradoras internacionais à estatal Vale do Rio Doce”.
Todos nós sabemos que a grande característica de Eliezer Batista foi se apropriar das pequenas reservas minerais existentes em várias partes do Brasil. Deixou para Eike Batista uma grande herança, e também o modus operandi. Aí temos,  os empréstimos feitos ao BNDES, empréstimos de milhões e milhões e milhões de reais. Empréstimos que serão pagos. Se o empréstimo é feito e o empreendimento não prospera, quem vai pagar o prejuízo? O povo brasileiro.
Então,  venho a esta tribuna, primeiro, para anunciar que na próxima semana estarei ingressando com uma representação no Ministério Público Federal para que, com base nas denúncias constantes desses dois artigos, haja uma investigação, porque os dados, é preciso dizer, são verdadeiros. Então, estamos diante de desvio de recurso público, de estelionato, de propaganda enganosa, talvez até, dependendo dos sócios no empreendimento, de formação de quadrilha.
A grande questão é que o  Eike Batita vem circulando pelos escaninhos financeiros do País e, ao que tudo indica – aliás, nem vi se está na Marina da Glória; Marina da Glória ainda não está incluída nesses dois artigos -, todos os empreendimentos com X amealhando recursos públicos e, ao mesmo tempo, alcançando prejuízos os mais substanciosos.
Então, pelo menos em homenagem à população do 5º Distrito de São João da Barra, aos pequenos produtores, aos que produzem alimentos, hortaliças, frutas, que estão lá defendendo sua terra, terra ocupada por quem lá está por gerações e gerações, e vem o Governo do Estado e desapropria.
Agora, por razões desconhecidas, o Eike Batista encontra um inimigo de peso, antes aliado. Alguém que antes elogiava e que agora se utiliza dos espaços de que dispõe, que não são poucos, para esclarecer algumas verdades que antes eram ocultadas.
Que o Eike Batista possa também não apenas desviar recursos públicos, não apenas pegar dinheiro em banco oficial para empreendimentos que não alcançarão sucesso, mas que ele possa também ser investigado e responsabilizado criminalmente por tudo aquilo que vem fazendo contra o país, contra o Estado do Rio de Janeiro, mas contra também aqueles lutadores do norte fluminense, no 5º Distrito de São João da Barra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário