sexta-feira, 8 de março de 2013

EM 2007 PRESIDENTE DA VENEZUELA RECEBE MEDALHA TIRADENTES NA ALERJ



"Farei todo o possível, por todos os dias da minha vida, para merecer esta homenagem". Com esta frase, o presidente da República Bolivariana da Venezuela, Hugo Chávez, resumiu todo seu sentimento por ter sido homenageado com a Medalha Tiradentes, principal comenda do Estado do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (19/01), na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Durante o discurso de agradecimento, que durou duas horas e 10 minutos, Chávez exaltou Tiradentes e o comparou à Simón Bolívar. "Estamos até hoje lutando pelo mesmo ideal de Tiradentes, a liberdade. E esta medalha me compromete com o povo do Brasil. Sinto-me um soldado do batalhão de Tiradentes", disse o presidente venezuelano para uma platéia de aproximadamente 800 pessoas. Autor da homenagem, o líder do PDT na Alerj, deputado Paulo Ramos, justificou a iniciativa falando sobre a importância das posições adotadas por Chávez. "Na América do Sul, vozes estão se levantando pelo direito do povo optar por experimentar modelos alternativos, escolheres seus caminhos. Além disso, é nosso dever assumir que o capitalismo tem causado muitos problemas para vários povos", disse o pedetista. A sessão foi comandada pelo presidente da Alerj, deputado Jorge Picciani (PMDB). "É uma alegria recebermos Hugo Chávez na Alerj, pois é um presidente que governa para o povo e pelo povo, independentemente das vontades da elite. Além disso, foi eleito pelo voto da grande maioria dos venezuelanos", lembrou Picciani. Além dos deputados estaduais e do homenageado, o deputado federal Chico Alencar (Psol-RJ), representando o Congresso Federal, completou a mesa. Chávez chegou ao Palácio Tiradentes às 18h25 e foi recebido aos gritos de "Chávez, amigo, o Brasil está contigo". O presidente venezuelano foi recepcionado, na porta da Alerj, por Picciani e Paulo Ramos. Antes de entrar no Plenário Barbosa Lima Sobrinho, Chávez e sua comitiva conversaram reservadamente com os deputados, na sala da presidência da Casa. Sempre acompanhado por uma intérprete, o presidente foi recebido por uma platéia que o aplaudiu de pé. Após o longo discurso, em que abordou questões polêmicas na área da política, economia, relações internacionais, energia e telecomunicações, o presidente finalizou com sua tradicional frase: "Hasta la vitória, siempre". Antes do encerramento da cerimônia, no entanto, a cantora Beth Carvalho, presente ao evento, homenageou Chávez cantando o samba-enredo da escola de samba Império Serrano de 1949, "Exaltação a Tiradentes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário