terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

REVISTA ÉPOCA : Auditoria detecta desvios de milhões em cinco hospitais do Rio



A denúncia publicada na revista Época que tem tido repercussão em outros meios de comunicação alcançando o Secretário de Estado da Saúde. Nós sabemos como está a Saúde no Estado. A privatização desenfreada, o fechamento de hospitais, a demolição do Iaserj. Um crime que está sendo consumado nas barbas de todo mundo. Não só dos membros do Poder Legislativo, mas também do Ministério Público, do Poder Judiciário. Os servidores públicos têm direito à assistência médica, os civis, a ser prestada pela rede Iaserj. Estão demolindo tudo. A transferência de equipamentos vem se dando sem que ninguém saiba para onde os equipamentos estão indo. Esta Casa doou dez milhões ao Iaserj. Um espetáculo aqui com a presença do Governador. Doou para recuperar. O dinheiro foi aplicado. Quem será responsabilizado por isto?
A denúncia feita pela revista Época alcança hospitais federais. Mas alcança de forma mais contundente um instituto de traumato-ortopedia na época em que o diretor era o Dr. Sérgio Côrtes, atual Secretário de Saúde. Com todo cinismo ele diz: “Me relacionei no INTO com essas empresas apenas durante o meu último ano de gestão.” Imagina. Se em um ano de gestão tem um prejuízo, com poucas empresas, de mais de 20 milhões, imagina se ele permanecesse lá mais tempo. O prejuízo seria muito maior.
Mas a questão extremamente mais grave é que as empresas são as mesmas empresas que continuam prestando serviço à Secretaria de Estado de Saúde no Rio de Janeiro e em vários outros municípios. Temos aqui, todos conhecem a Toesa, todos conhecem a Rufollo, todos conhecem as que estão indicadas pela denúncia.
Não é possível que o Secretário de Saúde procure escapar da denúncia dizendo que teve as contas aprovadas pelo Tribunal de Contas da União, como se a Controladoria-Geral da União, que fez a investigação, não tivesse a razão. O Tribunal de Contas fiscaliza determinadas irregularidades na prestação de contas, mas a Controladoria-Geral da União faz uma investigação sobre a aplicação dos recursos públicos.
Não é possível, porque o Sérgio Côrtes foi Secretário de Estado de Saúde e Defesa Civil. O massacre dos bombeiros militares se deu em parte com a presença do  Sérgio Côrtes na Secretaria de Estado de Defesa Civil e Saúde, aliás, uma coisa esdrúxula.
Não posso imaginar que, pelo menos desta vez, o Sérgio Côrtes escape livre, leve e solto; que com o aprofundamento das investigações e que elas sejam também feitas pelo Tribunal de Contas do Estado, nas contas da Secretaria de Estado de Saúde, com as mesmas empresas, e que possamos, aí, sim, trazer aqui, (ALERJ) constituída a Comissão de Saúde, o Secretário Sérgio Côrtes para que ele possa prestar os devidos esclarecimentos. LEIA A REPORTAGEM DA REVISTA ÉPOCA AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário