terça-feira, 13 de novembro de 2012

“Chineses suspendem siderúrgica no Porto do Açu, de Eike Batista”.



Venho a esta tribuna devido a algo que já mereceu e continua merecendo a minha atenção no exercício do mandato: a aflição vivida pela população do 5º Distrito de São João da Barra, desapropriado pelo Governador Sérgio Cabral, para entregar aquela vasta extensão de terra ao  Eike Batista, que está lá tentando construir o Porto do Açu. A área, que passou a ser destinada a um distrito industrial, pertence aos produtores rurais, às famílias que produzem alimentos naquela região. O Governador Sérgio Cabral desapropriou a área e não indeniza os proprietários das terras com um valor que permita uma sobrevivência digna em outro lugar, mas são os donos da terra. Lá não houve respeito ao direito de propriedade. A Câmara dos Vereadores tombou a área, a prefeita vetou, a Câmara derrubou o veto e a discussão ainda está nos tribunais, porque há uma ação de inconstitucionalidade em relação ao tombamento. Aliás, já houve decisões altamente suspeitas, porque as pessoas estão muito prejudicadas.
O Jornal Folha de São Paulo, de ontem, matéria reproduzida no Jornal O Globo, de hoje, diz o seguinte: “Chineses suspendem siderúrgica no Porto do Açu, de Eike Batista”. Suspendeu. A área então destinada à construção da siderúrgica pertencia aos desvalidos produtores rurais e, agora, a empresa chinesa abandona o projeto, acusando o Eike Batista de não tomar as providências necessárias à infra-estrutura exigida com o que se comprometeu para a implementação da siderúrgica. E, aí, o  Eike Batista, no Jornal O Globo, de hoje, cinicamente diz: “Se eu não produzir, ali, aço isso até me beneficia, porque a indústria do petróleo é a que tem um mercado muito mais promissor. O setor siderúrgico, com a crise na Europa, vem perdendo o espaço. Nem me afeta a ausência dos chineses, porque vou ter a oportunidade de ali desenvolver outro projeto”. No maior descaramento, no maior cinismo, acentuando o desrespeito aos proprietários da área e que estão lutando, às duras penas, para que seus direitos sejam respeitados. O conluio do Governo do Estado patrocinando interesses do Sr. Eike Batista, e o Eike Batista, sendo defenestrado de um projeto que mantinha com os chineses, dá essa resposta mais abusiva ainda e muito mais cínica.
Então, o que está acontecendo no 5º Distrito de São João da Barra, beneficiando o Eike Batista, que, aliás, é a grande figura, hoje, no Estado do Rio de Janeiro, pois vai administrar o Maracanã, está comprando tudo, o Hotel Glória está sendo repaginado. O Eike Batista é a figura central do Estado do Rio de Janeiro, porque vem patrocinando inúmeros projetos, insensível aos interesses da população, soterrando não só direitos como também esperanças. Que esta denúncia possa representar uma mínima possibilidade de o Governador do Estado rever a sua posição de preservar a desapropriação lá do 5º distrito, infernizando a vida de famílias humildes.

  


2 comentários:

  1. De fato um absurdo. Esse cara conseguiu tanta visibilidade na mídia que muitas pessoas acreditam que realmente ele é um empreendedor de sucesso. Uma pessoas de negócios lucrativos e inventivos nas suas aplicações.... eca ... tenho nojo dessas falcatruas.

    ResponderExcluir
  2. A área será produtiva de qualquer forma e os antigos proprietários das terras foram indenizados conforme o valor de mercado, como ocorre em qualquer desapropriação.

    ResponderExcluir