sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Privatização do Maracanã - Manifestantes contra o modelo de concessão proposto pelo governo Cabral


Estavam por lá o Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas, o movimento Meu Rio, os índios da Aldeia Maracanã, organizações de torcedores, assim como pais, alunos e funcionários da Escola Municipal Friedenreich, que por estar dentro do Maracanã, será demolida.

"Se a finalidade da audiência pública é ouvir o público, a resposta está aí"
Indignado, Paulo Ramos tentou entrar no local destinado às autoridades do Executivo, mas foi impedido de maneira truculenta por seguranças. O bate-boca, com direito à troca de empurrões, quase fez com que alguns presentes fossem às vias de fato com o grupo que barrava a entrada.
Ao ter a palavra, Ramos contra-atacou, também pedindo o cancelamento da reunião: "Se a finalidade da audiência pública é ouvir o público, a resposta está aí", alfinetou.

Parlamentares vão recorrer à Justiça
Os parlamentares presentes pretende acionar outros colegas de oposição para, juntos, tomarem providências com vistas a anular a audiência pública e promover debate sobre as propostas que deveriam ter sido discutidas.
A ideia do grupo é acionar o Ministério Público ou optar por recorrer direto ao judiciário, algo ainda a ser estudado. Eles creem que o governo ratificará a audiência, exigência legal para que o edital de licitação tenha validade, mesmo sem que seu objetivo institucional tenha sido alcançado:
"Vocês duvidam que o governo agirá com tamanho cinismo? É exatamente isso que vai acontecer", sintetizou Paulo Ramos.

Leia a reportagem toda do Jornal do Brasil  AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário