terça-feira, 23 de outubro de 2012

Mais uma vez o Governador Sérgio Cabral nos surpreende



O Estádio do Maracanã volta de novo às manchetes juntamente com o episódio pouco explicado ou inexplicável da Refinaria de Manguinhos.
Há poucos anos, quando num acertão com a Fifa e com a CBF do Sr. Ricardo Teixeira e do Sr. Havelange, ambos com os nomes enxovalhados porque, comprovadamente, receberam e recebiam propina, houve o acordão para que o Maracanã passasse por novas reformas, não obstante ter sido reformado poucos anos antes para o Pan-Americano. À época muitos indagaram: Afinal de contas, o que existia no Maracanã que não preenchia as exigências da Fifa para abrigar jogos do campeonato mundial de futebol? O Maracanã sempre foi palco das maiores competições futebolísticas, não apenas nacionais como também internacionais.
O Brasil, e no caso também o Governo do Estado do Rio de Janeiro, se submeteu às exigências da Fifa: o Maracanã vai passar por reformas para ser adaptado. E aí vem mais uma surpresa, o custo da obra: R$ 1 bilhão, recursos suficientes para a construção de dois estádios novos, que, aliás, estão sendo construídos em outras unidades da Federação. Isto é, a reforma do Maracanã vai sair ao custo de dois estádios novos. Tudo para atender às exigências da Fifa, às surpreendentes exigências.
É claro que dentre as empreiteiras responsáveis pela obra não poderia faltar a famosa Delta, do Sr. Carlinhos Cachoeira, do Sr. Fernando Cavendish e de outros que integram a chamada República do Guardanapo.
À época disseram que não, agora vão também destruir o Parque Aquático e o complexo de atletismo em torno do Maracanã. Negaram! Num país como o nosso, imaginar que com tantas áreas disponíveis para a construção de novos equipamentos esportivos eles vão demolir o Júlio Delamare, destinado a competições de natação, e o Célio de Barros ao atletismo. Serão transformados em estacionamentos. Poderiam até fazer estacionamentos no subsolo. Não. Tudo para atender, não ao interesse do povo brasileiro, ao interesse do esporte, mas para contemplar, certamente, as empreiteiras de plantão, na medida em que a Delta já foi devidamente excluída – recebeu cartão vermelho.
Há também o episódio da Refinaria de Manguinhos. Surpreendente! Tenho dito, por onde passo, que o Governador Sérgio Cabral se comportou como um salteador de estrada: ficou na tocaia e, sem nenhum debate, sem nenhum esclarecimento público, ele divulga que vai construir, na área onde está funcionando a Refinaria de Manguinhos, um complexo habitacional. Aliás, ainda divulga que, durante cinco anos, o solo vai ter que ser descontaminado, ao custo aproximado de duzentos milhões, sem considerar aquilo que vai remunerar os controladores da Refinaria.
É claro que ninguém pode imaginar que o Governador esteja conflitando com os controladores da Refinaria. Eles se reúnem, eles se entendem, eles são parceiros. Vão perder os acionistas minoritários, os trabalhadores vão perder seus empregos, e ali, se não houver mudança de decisão, teremos um terreno contaminado e que vai permanecer contaminado, superada, inclusive, a era Cabral. As favelas no entorno vão continuar existindo, mesmo depois, se, porventura, o que está sendo divulgado for realizado, o que não acredito.
Em relação ao Maracanã, urge uma reação a partir daqueles que são os nossos desportistas, os nossos atletas, os nossos nadadores. É preciso que haja uma reação muito grande à desativação do Célio de Barros e do Júlio Delamare. Não é razoável, não é aceitável.
É claro que o Sr. Arthur Nuzman, que preside o Comitê Olímpico Brasileiro, está eternizado lá no cargo, da parte dele não haverá nenhuma reação, porque ele faz parte dessa confraria, não haverá reação. Mas os atletas devem se manifestar, devem reagir. Já não temos pistas, já não temos locais de competição, não temos, sequer, locais para a prática esportiva. As nossas crianças, adolescentes e jovens não têm onde praticar esportes. Os clubes estão, também, abandonados. Então, aquilo que existe vai ser demolido.
Dizem que vão transferir. Qualquer dia, vão acabar com a Quinta da Boa Vista, vão acabar com o Jardim Zoológico. Eles vão acabar ou vão dizer que vão transferir. Talvez, o jardim zoológico volte ali para Vila Isabel, a sua origem.
Então, venho a esta tribuna para, pelo menos, me insurgir. Primeiro, quero denunciar o crime praticado com a reforma do Maracanã, ao custo de um bilhão; segundo, a inexplicável desativação da Refinaria de Manguinhos sem um debate prévio, prejudicando trabalhadores, acionistas minoritários e, ao mesmo tempo, deixando a indagação: o Brasil é auto-suficiente no refino? É possível inviabilizar uma refinaria de petróleo? Tem algo a ver com o nosso modelo de desenvolvimento? Ah, mas a área é imprópria para a existência de uma refinaria. Ora, veja só! A Refinaria está ali anos a fio.
Em torno da Refinaria Duque de Caxias estão sendo construídas muitas habitações. Daqui a pouco, então, a Reduc estará tão cercada de residências que estará, também, inviabilizada.
Então, mais uma vez, o Governador Sérgio Cabral nos surpreende, como nos surpreendeu com o fechamento do Instituto de Infectologia São Sebastião; como nos surpreendeu com o crime praticado contra os serviços públicos fechando o Hospital Central do IASERJ; e, agora, vem com essas duas novas iniciativas, acabando com o Júlio Delamare, Célio de Barros, e, ao mesmo tempo, sem nenhum debate, dizendo que vai fechar a Refinaria de Manguinhos.
Que, pelo menos, o Ministério Público se mobilize e que, uma vez o Poder Judiciário sendo provocado, decida sobre o mérito porque, em relação ao IASERJ, depois de muitas ações judiciais, tanto na Justiça estadual quanto na Justiça federal, não houve julgamento do mérito. E que o Ministério Público, pela responsabilidade que tem, possa, verdadeiramente, defender a sociedade.
PAULO RAMOS

2 comentários:

  1. Todos estão comprados por Sérgio Cabral.
    Pior do que a turma do garotinho.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo trabalho, sou um dos 7.000 acionista LESADOS pelo ato de insanidade do Sérgio Cabral contra a refinaria de petróleo manguinhos... Meu prejuízo é ENORME, ele vai indenizar os acionistas??? Contamos muito com sua ajuda deputado.

    ResponderExcluir