terça-feira, 24 de abril de 2012

Os brizolistas não se conformam e estão proclamando por todos os lugares: “Fora, Lupi!”, “Fora, José Bonifácio!”,

DISCURSO  24/04 

Acreditei, um tempo atrás, que não teria eu mais a necessidade de vir a esta tribuna para falar do meu próprio partido, o PDT. Imaginei que não teria essa necessidade acreditando que a aqueles que dirigem, não só nacionalmente como também no Estado do Rio de Janeiro, a minha legenda, o PDT, já tivessem compreendido o papel nefasto por eles desempenhado, fazendo com que o partido perdesse quase que completamente a sua identidade.
No plano nacional, Carlos Lupi e Manoel Dias e, no Estado do Rio de Janeiro, mais uma vez, Carlos Lupi e José Bonifácio transformaram o PDT num balcão de negócios, numa legenda de aluguel, num verdadeiro cartório por eles controlado unicamente para o atendimento de interesses pessoais. O PDT há muito deixou de ser alternativa de poder, deixou de expressar o seu programa na defesa de propostas nacionalistas, na defesa da educação pública de boa qualidade – a educação integral, simbolizada tão bem pelos CIEPs –, na defesa da reforma agrária, no debate sobre as famosas reformas de base. Enfim, o PDT perdeu até o conteúdo de defesa do trabalhador.
O PDT passou a ser uma legenda completamente desfigurada por aqueles que dele se apropriaram e agora alcançam benefícios pessoais, não só na disputa pela ocupação de cargos nos Poderes Executivos com os quais a legenda se alia, mas também benefícios outros, Sr. Presidente, que desta tribuna até me recuso a mencionar, de tão abjetos.
Depois de uma decisão judicial, transitada em julgado, que anulou a última eleição no Estado do Rio de Janeiro, para o Diretório Regional, os dirigentes do Partido, o mesmo Carlos Lupi, no plano nacional, nomeia uma comissão provisória composta pelos mesmos membros da comissão executiva eleita pelo Diretório cuja convenção foi anulada por decisão judicial. Não só uma afronta à ética partidária, não só uma agressão ao mínimo democrático que deve existir em cada legenda, mas acima de tudo um desrespeito flagrante à decisão judicial.
Foram tentando organizar, de forma ilegítima, um colégio eleitoral para possibilitar a eternização na direção do partido daqueles que são os seus verdadeiros mercadores, vendedores da legenda.
E agora, Sr. Presidente, afrontando ainda o estatuto partidário, a direção regional, isto é, Carlos Lupi e José Bonifácio, seu assecla, marcam para o dia 28 uma convenção para a eleição do Diretório Regional. Eles não têm legitimidade e integram uma comissão provisória que afronta a decisão judicial. Mas marcam a convenção sem a obediência do estatuto. Não decidiram Direção Nacional, a quem cabe, não marcou a eleição com 30 dias de antecedência. Não houve a reunião da Executiva. Não houve a publicação em nenhum instrumento do Partido nem na internet. E agora, a oito dias do pleito, divulgaram que a convenção dar-se-á no dia 28.
Assim, nem posso acreditar que o ex-ministro Carlos Lupi, que saiu corrido do Ministério, que não pode mais aparecer em público, que não é fotografado nem ao lado do candidato a Vereador, do mais longínquo município, que ele se atrevesse a tanto, que estivesse disposto a afrontar ainda mais a consciência dos verdadeiros trabalhistas, dos verdadeiros pedetistas.
Meu gabinete tem sido um local de peregrinação. Recebo trabalhistas amargurados, brisolistas sofridos vendo o que foi feito da nossa legenda.
Sr. Presidente, venho à tribuna para mais uma vez fazer um apelo porque não é possível que a Bancada do PDT, com assento nesta Casa, fique omissa ou cúmplice desse procedimento porque, afinal de contas, a representação no Poder Legislativo, com a convivência que tem com as bases partidárias, deveria pelo menos se esforçar para que o Partido respeitasse o mínimo democrático, que os diretórios municipais fossem organizados democraticamente. Que nas zonais do Município do Rio de Janeiro prevalecesse também a visão democrática, que houvesse tempo porque, agora, foi eleito um novo Diretório Municipal, na Capital.
Carlos Lupi foi derrotado fragorosamente, mas que houvesse tempo para que a direção municipal na Capital organizasse os diretórios zonais para participação numa futura convenção regional, conforme está no Estatuto. Contudo, preocupados com a derrota futura, e ainda se apropriando dos mecanismos partidários, contrariando a decisão judicial, eles marcam uma convenção sem nenhuma divulgação, para que se apresentem com chapa única e possam, mais uma vez, se apropriar ou continuar controlando, dessa forma espúria, a nossa legenda.

Há uma parcela grande resistindo. Os pedetistas sinceros, os trabalhistas, os brizolistas não se conformam e estão proclamando por todos os lugares: “Fora, Lupi!”, “Fora, José Bonifácio!”, que ainda está como Subsecretário de Defesa do Consumidor. É uma figura que pode ser encontrada em vários lugares, inclusive nos principais bares de nossa Capital, menos no nosso partido, dirigindo a legenda de forma responsável.
Sr. Presidente, agora posso dizer desta tribuna que eles se acanalharam de forma tal que fico a imaginar qual será a reação daqueles que não se conformam. Estamos reagindo, buscando, mais uma vez, a proteção do Poder Judiciário; estamos reagindo nos mobilizando internamente – e veja que nem podemos nos reunir na sede do partido, porque eles a mantêm fechada. A sede do PDT hoje só abre em alguns momentos, para que eles possam praticar os atos que praticam, descumprindo qualquer dispositivo estatutário, descumprindo a Lei, descumprindo decisão judicial. O PDT hoje vive de portas fechadas.
Sr. Presidente, venho aqui para convocar os verdadeiros pedetistas, os verdadeiros trabalhistas e os verdadeiros brizolistas para que, juntos, possamos resgatar a nossa legenda. Mando um abraço ao Deputado Federal Brizola Neto pela vitória que o consagrou como Presidente do PDT no Município do Rio de Janeiro. Carlos Lupi tudo fez para impedir que Brizola Neto fosse nomeado Ministro do Trabalho, o que ainda é a nossa esperança, mas não foi possível. Quando o voto foi permitido na Capital, Lupi não conseguiu manter o controle do partido porque foi fragorosamente derrotado pela chapa encabeçada pelo Deputado Federal Brizola Neto.
Que saiba Lupi que ele está com os dias contados à frente de nossa legenda; que ele, que se acanalhou de tal forma que ainda ousa nos agredir da forma como vem fazendo, marcando uma convenção contra os dispositivos estatutários e sem a observância de prazos regimentais, saiba que os canalhas como ele deixarão em breve a direção do PDT e seguramente deixarão também a nossa legenda.
Muito obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário