quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Morre o jornalista Helio Fernandes Filho

Na sexta-feira passada faleceu o jornalista Helio Fernandes Filho, que eu conheci e posso afirmar que tinha nele um grande amigo. Conheço a sua trajetória de vida e de luta. Substituiu o seu pai, o grande Hélio Fernandes, à frente dos destinos do jornal da resistência democrática, do período pós 1964 – Tribuna da Imprensa.

Hélio Fernandes Filho foi um substituto à altura de seu pai e se conduziu durante toda a sua vida defendendo a verdadeira liberdade de expressão, a verdadeira liberdade de imprensa, como fundamento da democracia, e não o fez buscando proveito próprio. Não defendeu a liberdade de imprensa para enriquecer; ao contrário, estava na trincheira do enfrentamento com aqueles que manipulam a informação, aqueles que aproveitam do poder que concentram nas mãos e veiculam notícias para enriquecer, para se associar ao poder ou para constituir uma face do poder.

Helio Fernandes Filho resistiu. E durante os últimos anos resistiu também à doença. Sem dúvida, é uma grande perda. Há poucos dias, morreu também o seu irmão, Rodolfo Fernandes, diretor de redação do jornal O Globo. Rodolfo Fernandes era um profissional conceituado e reconhecido, embora tenha traçado uma trajetória profissional diferente da de seu irmão Hélio Fernandes Filho, que presidiu e dirigiu a Tribuna da Imprensa numa fase tão dolorosa e tão dramática da história do nosso País.

Ao homenagear Hélio Fernandes Filho, mando um forte abraço de solidariedade ao grande Hélio Fernandes. Perder dois filhos num espaço tão curto de tempo causa, com certeza, uma dor muito grande, mas o grande Hélio Fernandes está aí, resistindo também a esses embates, a esse drama que a própria vida lhe proporciona. O meu pesar pelo passamento de Hélio Fernandes Filho e um grande abraço de solidariedade ao seu pai, democrata, resistente, lutador, Hélio Fernandes.

Paulo Ramos

Nenhum comentário:

Postar um comentário