quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Poluição da CSA atingirá o Rio, afirma deputado

Preocupado com a poluição na Capital, que já superou a registrada em São Paulo, o deputado Paulo Ramos (PDT) cobrou do governo do Estado uma solução rigorosa e definitiva para Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), que, antes mesmo de funcionar a pleno vapor, já está poluindo a região em torno da instalação. O deputado revelou ainda que estudos sobre o regime dos ventos comprovam que o lixo despejado no ar não irá para o mar, como afirma a CSA;

“Todo aquele ar poluido, cheio de resíduos, cairá na Capital e adjacências, conforme um estudo encomendado por Procurador da República. O Rio já é a capital mais poluída do país e com a CSA vai receber ainda mais 80% de poluentes. Será a capital mais poluída do mundo. Por isso, é urgente que sejam tomadas providências imediatas e para que medidas de conteção de poluição sejam de fato realizadas. Mas acho difícil o governador tomar providências, já que a CSA é ligada ao empresário Eike Batista, que empresta seu aviões para Cabral viajar pelo país e visitar Paris. Mas temos obrigação de exigir providências”, afirmou Paulo Ramos.

O deputado lembrou também que a CSA, com os atuais e os futuros equipamentos, não poderia se instalar na Europa. Ele considerou suspeito ainda o fechamento do Hospital Pedro II, próximo da localização da CSA:

“Esse hospital ficaria encarregado de registrar as doenças provocadas pela CSA na região. Mas ele foi fechado criminosamente quando a companhia começou a funcionar: Explodiram um gerador para fecharem o hospital e evitar que ele cuidasse da população da região e recolhesse dados que comprovariam que a CSA não tem ou não usa filtros adequados para filtrar a poluiçã que produz”, concluiu o deputado em seu discurso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário