terça-feira, 23 de agosto de 2011

Assembléia quer CPI para investigar obras sem licitações

O deputado Paulo Ramos (PDT) deu entrada na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) com um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar denúncias relativas à contratação, pelo governo do Estado, de empreiteiras sem licitação, dentre elas a Delta, e o superfaturamento de obras públicas,

A CPI será formada por cinco membros e terá prazo de 90 dias para a conclusão, e mais 30 dias prorrogáveis.

“A Alerj tem a obrigação de investigar essa quantidade de obras sem licitação, como vêm denunciando os jornais. É um absoluto e um total descaso com a legislação e com o bom manual de administração pública”, afirmou o deputado.

Para ele, Sérgio Cabral está afrontando a opinião pública com obras sem licitação e com os favores que o governador recebe de empreiteiros que têm negócios com o governo.

“No último final de semana, foi publicado que, em mais uma dessas licitações, o governo iria investir cerca de 40 milhões. Indagado, o governador, que estava no exterior, como sempre, ainda teve a ousadia de afirmar que não sabia dessa obra e quem assinou o contrato teria sido seu vice, Pezão. É debochar da nossa inteligência afirmar que não sabe de nada sobre uma obra com um montante volumoso de dinheiro público como essa”, afirmou Paulo Ramos.

A denúncia de mais uma obra sem licitação foi feita pelo jornal O Estado de São Paulo, no último final de semana. Segundo o jornal, Cabral assinou mais oito contratos, sem licitação, com a Delta Construção, no valor total de R$ 37 milhões, para obras na Região Serrana. O fato ocorre apenas dois meses após o trágico acidente com o helicóptero na Bahia que matou sete pessoas, entre elas a namorada do filho do governador Sérgio Cabral e a mulher de Fernando Cavendish, dono da Delta e amigo do governador.

A Delta já assinou, desde 2007, com o governo contratos que somam R$ 1,3 bilhão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário