sexta-feira, 10 de junho de 2011

CPI vai investigar denúncias de maus tratos a bombeiros presos


O deputado Paulo Ramos (PDT) vai entrar na próxima terça-feira com um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, que irá investigar as condições em que ficaram os 439 bombeiros presos num quartel em Niterói.

O deputado quer levantar também a veracidade das denúncias relativas a ilegalidades, violências e agressões praticadas quando do ato da prisão dos bombeiros militares no interior do Quartel Central da Corporação, no último dia três. O quartel foi invadido por PMs e pelo Bope cumprindo determinação do governador Sérgio Cabral.

Na confusão, os bombeiros e seus parentes que também estavam na manifestação foram agredidos com balas de borracha, gás lacrimogêneo, gás de pimenta. Há suspeitas de que até balas de verdade e de fuzil foram usadas contra os manifestantes.

A CPI vai levantar também os danos ao patrimônio público decorrentes da forma como foi desencadeada aquela repressão. A comissão será formada por sete deputados, com prazo de duração noventa, que pode ser prorrogáveis.

“Os bombeiros foram protestar em paz e foram recebidos com violência a mando do governador. Tanto é verdade que a manifestação era pacífica que os bombeiros estavam acompanhados de suas mulheres e filhos. O governador, num ato insano e cruel, mandou a polícia invadir o quartel. E os bombeiros foram presos dentro do quartel da corporação por um comandante da PM e não por um comandante dos bombeiros, o que é outra irregularidade”, afirmou o deputado Paulo Ramos.

A CPI, segundo o deputado, também vai investigar as denúncias que estão chegando a Alerj sobre quem foi o responsável pelos possíveis danos materiais no quartel

“São muitas as denúncias que estamos recebendo informando que até o momento da invasão pela polícia nenhum dano tinha ocorrido no quartel”, afirmou Paulo Ramos.

Também assinam o requerimento para a instalação da CPI os deputados Luiz Paulo (PSDB) e Comte Bittencourt (PPS).

3 comentários:

  1. A autuação feita ñ é legitima, foi feita por autiridade ñ competente, se eram bombeiros teriam que ser autuados por um oficial do corpo de bombeiros, ñ houve exame de corpo de delito, mulheres foram presas e colocadas junto com homens e até crianças foram presas. As armas não letais são para a defesa do policial, nesse caso foram usadas para atacar, sem contar com as letais que tambem foram usadas, por pouco ñ houve uma tragédia

    ResponderExcluir
  2. ATENÇAO POVO BRASILEIRO, NOS MILITARES DO RIO DE JANEIRO VIVEMOS EM PLENA DITADURA. TRES COMANDANTES AMEAÇARAM A TROPA PROIBINDO QUE USASSEM CAMISA VERMELHA. QUEM SE OPOR AO GOVERNADOR SERGIO CABRAL (PMDB) ELE MANDA ESMAGAR E PRENDE. HOJE NO RIO DE JANEIRO NAO TEM DEMOCRACIA

    ResponderExcluir
  3. sr deputado, solicito, que nesta cpi, também seja apurado de onde partiram os projéteis, que perfuraram nossas viaturas, fiquei no interior do QCG, até o ultimo minuto, no momento em que o bope, e em seguida o choque invadiram a nossa casa, e observei, o policial do bope, efetuando disparos de fuzil para o alto, e não em direção aos bombeiros que ali se encontravam, eu tenho quase certeza, porem, não tenho como provar, que os tiros, que atingiram as nossas viaturas, partiram das armas dos 02 p2( policiais do serviço reservado), que ali se encontravam, inclusive, existem imagens dos mesmos, junto ao cel mario sergio, no momento em que ele nos falava em cima da viatura. apos eu sair do QCG, pude ver os dois saindo de lá em uma pickup nissan branca, do serviço reservado.
    solicito a vossa senhoria, que seja instaurado um inquerito, e que as armas destes dois policiais, sejam levadas ao exame de balistica, para que sejam comparados aos projéteis, que puseram nossas vidas e de nossos familiares em risco, além de destruir nossas viaturas..

    ResponderExcluir