quinta-feira, 19 de maio de 2011

Deputado Paulo Ramos conhece seus pares


“Ao desprezar a concordância, o ministério da educação criou facilidades para o serviço de taquigrafia da Alerj, que não precisará mais cuidar dos ataques ao vernáculo cometidos pelos parlamentares”.

A opinião é do deputado estadual Paulo Ramos (PDT), que usou da ironia para comentar a liberação de erros de português em livros do Ministério da Educação.