sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Secretaria estadual de Saúde e Defesa Civil quer fechar o IASERJ

O presidente da Comissão de Trabalho, Legislação e Seguridade Social da Assembléia Legislativa, deputado Paulo Ramos (PDT), levou o caso ao Ministério Público estadual. A Defensoria Pública da União também acompanha o processo. A Afiaserj alega que o hospital foi criado por meio de uma contribuição mensal de 2% dos salários dos servidores, paga até hoje (a partir de 1999, passou a ser direcionada ao Rio Previdência). Portanto, segundo eles, a unidade não poderia ser desativada sem a aprovação dos contribuintes.
O Hospital Central do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro (Iaserj), na Praça da Cruz Vermelha, no Centro, vai fechar as portas dentro de 60 dias. O prazo foi dado pela Secretaria estadual de Saúde e Defesa Civil (Sesdec), que, em 2007, começou a transferir parte de sua estrutura para outras unidades. Em um e-mail enviado a funcionários do órgão, o superintendente de serviços da Sesdec, Alexandre Nascimento, determinou a retirada, até o próximo dia 8, de aparelhos médicos e móveis que não vêm sendo utilizados. O hospital tem, em seu Centro de Terapia Intensiva (CTI), 16 leitos. Atualmente, todos estão ocupados. O prédio será entregue ao Instituto Nacional do Câncer (Inca).
Na próxima terça-feira, haverá uma audiência pública sobre o caso, às 11h, na Assembleia Legislativa.

O GLOBO