quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Greve dos serventuários tem 70% de adesão

“Estamos brigando pelos 24% do reajuste salarial que não foi pago. Tínhamos direito a 70,5% e essa parte de 24% ainda não vimos. Esta decisão saiu há 23 anos e aguardamos por este benefício. No Fórum de Nova Iguaçu, a adesão é de 70%. Os outros 30% dos servidores estão atendendo no setor emergencial. Além disso, brigamos pelo nosso Plano de Carreiras, Cargos e Salários”, disse o serventuário Reginaldo Rocha.
Eles afirmam lamentar o desconhecimento por quem exerce atividade judicante da vigência e eficácia da Lei Estadual nº1206/87, cujo artigo 5º foi julgado inconstitucional o que garante a todos os serventuários o percentual de 70,5%, conforme estabelece o artigo 1º desta mesma lei e que a ação em que um grupo reduzido de servidores figura como autores faz fixar o percentual que ainda pertence aos mesmos.
De acordo com o delegado sindical de Nova Iguaçu, Wagner Cordeiro, os serventuários também estão revoltados com uma outra questão. “O presidente do Tribunal de Justiça e o corregedor geral retalharam a paralisação e ainda houve a cassação de 13 das 15 licenças sindicais dos coordenadores do Sind-Justiça, só poupando as de Amarildo Silva e Marta Barçante, conforme decisão do próprio presidente do TJ. Tem também a remoção arbitrária, através de ato da Corregedoria, de Alexander Brasil, antigo ativista da categoria, do Fórum Central para a Comarca de Santa Maria Madalena. Isso é um absurdo!”, alegou.

"Quero manifestar desta Tribuna a minha solidariedade aos serventuários da Justiça e lamentar profundamente que, em tendo sido a categoria vitoriosa com uma ação judicial, que levou anos para ser concluída, como, aliás, acontece no nosso país com todas as ações que beneficiam aqueles que não são poderosos, que lhes dá agora direito a um reajuste de 24%, não encontrando alternativa para ver cumprida a decisão judicial, considerando a resistência do chefe daquele poder, decidiram por uma greve". Dep. Estadual Paulo Ramos