quinta-feira, 21 de outubro de 2010

VENDA DE SENTENÇAS : CPI PRORROGADA POR 2 MESES

Comissão criada para investigar denúncias de tráfico de
influência e venda de sentenças judiciais prorrogou seus
trabalhos por mais 60 dias, após reunião realizada ontem. O
presidente da CPI, deputado Paulo Ramos (PDT), destacou
que os trabalhos da comissão haviam sido atropelados pelo
processo eleitoral e que, por esta razão, foi tomada a decisão
de estender o prazo de sua atuação, além da convocação de
mais algumas testemunhas.
“O tema investigado é muito delicado e enfrentamos
dificuldades porque temos situações que iriam trazer
obstáculos às investigações. De qualquer maneira, já demos
uma contribuição muito grande para a moralização do
processo eleitoral. Muita coisa deixou de acontecer nessa
última eleição pela existência da CPI. Foi uma espécie de
medida preventiva”, afirmou o pedetista, acrescentando que o
relatório deve ser votado até o dia 10 de dezembro no
plenário.
A comissão já realizou 16 reuniões ordinárias e ouviu 25
pessoas no primeiro semestre. Paulo Ramos afirmou já ter
informações contundentes para concluir os trabalhos, embora
tenha lamentado a falta de depoimentos por parte de políticos
que alegam terem sido extorquidos. “Políticos com ou sem
mandato, que pagaram ou não ao serem pressionados para
uma mediação do nosso investigado, Eduardo Raschkovsky,
se recusaram a prestar depoimento. Tivemos aqui a presença
da ex-prefeita de Magé, Núbia Cozzolino, que foi importante”,
ressaltou o presidente da comissão.

FONTE: HORA H