quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Diretor do Sindipetro-RJ completa 24h de greve de fome por acordo trabalhista

O diretor do Sindicato dos Petroleiros do Rio (Sindipetro-RJ), Emanuel
Cancella, completou às 14 horas desta quarta (15) as primeiras 24 horas em
greve de fome. Ele protesta contra a discriminação dos aposentados no
proposta de acordo coletivo apresentada pela Petrobrás. Está prevista uma
nova mesa de negociação com a empresa para amanhã, às 15h. Proibido de
entrar no prédio onde trabalha desde 1975, Cancella passou a noite no carro
do sindicato, na porta do Edifício sede da Petrobrás (Edise). Ele
permanecerá em greve por tempo indeterminado, até que seja apresentada uma
proposta satisfatória para a categoria.



O ato extremo é radicalização do protesto “Corrente da Justiça”, que se
estende há 38 dias com manifestantes revezando acorrentamento na porta do
Edise. O Sindipetro-RJ tem denunciado o que chama de “fraude” no salário dos
aposentados. Nos últimos 15 anos, os ACT têm privilegiado o aumento por
níveis ou abonos, mecanismos que não repercutem em aposentadorias e pensões.
Esse acúmulo, em alguns casos, gera perdas de 50%. Pelo Plano Petros, os
aposentados teriam direito a receber 90% do salário da ativa.



A decisão pela greve de fome foi comunicada ao RH e a presidência da
Petrobrás, à presidência da República, ao Congresso Nacional, ao Sindicato
dos Médicos e à Ordem dos Advogados do Brasil.



Fonte: Agência Petroleira de Notícias