quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Investidores tiveram lucros milionários ao comprar direitos creditórios do extinto Berj e repassá-los, com lucros exorbitantes,



A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aplicou uma multa de R$ 504 milhões a nove acusados de envolvimento em fraudes em operações realizadas em 2005 no mercado financeiro. O caso está relacionado a créditos do extinto Banco do Estado do Rio de Janeiro (Berj), usados para amortizar parte de uma dívida com o Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (RioPrevidência).

Esta é a segunda maior multa imposta pela CVM, perdendo apenas para a dos envolvidos no caso do Banco Santos, de cerca de R$ 665 milhões, em 2008. Os acusados da fraude julgada ontem negam irregularidades e vão recorrer da decisão. Segundo eles, a disputa faz parte de uma briga judicial mais ampla, entre os governos de Rosinha Garotinho (2003-2006) e o atual governo, de Sérgio Cabral, no Rio. Cabral tenta na Justiça recuperar um prejuízo de R$ 426 milhões que o Estado alega ter sofrido com a venda da carteira de crédito imobiliária do extinto Berj - a parte que sobrou do Banerj após a venda para o Itaú.

FONTE