sábado, 17 de julho de 2010

MP vai apurar quem é responsável por prédio público que pode ter focos do mosquito

RISCO DE DENGUE


O presidente da Comissão de Trabalho da Alerj, deputado estadual Paulo Ramos, vai entrar com uma representação no Ministério Público para apurar de quem é a responsabilidade pelo prédio anexo ao Centro de Controle de Vetores da Secretaria Municipal de Saúde, em São Cristóvão. Como O DIA publicou ontem, o local abandonado acumula água parada, que pode se transformar em criadouros do mosquito transmissor da dengue. O prédio, que tem janelas quebradas, mofo, lama e parte do teto desabando, guarda ainda produtos Tóxicos.

Ontem, equipe de reportagem de O DIA entrou em contato com as secretarias municipal e estadual de Saúde, Funasa e Ministério da Saúde para saber quem é o proprietário do anexo. Nenhum órgão assumiu responsabilidade pelo lugar. Pelo contrário: as autoridades travaram um verdadeiro jogo de empurra e, por fim, o filho feio acabou sem pai.

“O local é insalubre, quem trabalha no entorno é prejudicado e ninguém toma providências, um transfere a responsabilidade para o outro. Isso é inadmissível”, afirmou Ramos.
O presidente da Associação de Vítimas da Dengue, Marcos Garcia Roig, lamentou o fato. Segundo ele, o abandono é a prova de que o poder público, apesar de pedir à população que se mobilize contra a doença, não consegue dar conta de suas próprias instalações.

“A impressão é que, além de conscientizar a população, vamos ter que conscientizar, também, o governo federal, o estadual e a prefeitura”, disse.

Em nota, a secretaria municipal informou que, desde 2009, está realocando os 190 funcionários que trabalhavam no centro e que, em breve, os 28 que ainda atuam na unidade serão removidos. Segundo o órgão, o local passa por avaliações das equipes de combate à dengue a cada dois meses.

Clarissa Melo - o Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário