quinta-feira, 10 de junho de 2010

10/06/2010 - Núbia Cozzolino pode depor a força sobre fraude eleitoral



POVO DO RIO Pág.:2 10/06/2010 1/1

Polícia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assem­bleia Legislativa do Rio (Alerj) criada para investigar denún­cias de tráfico de influência e venda de sentenças judiciais no processo eleitoral se reúne hoje, às 10h30, na sala 311 do Palácio Tiradentes.

A intenção é ouvir a ex­prefeita de Magé Núbia Cozzo­lino e mais duas pessoas. Ela faltou à última sessão da CPI sem apresentar justificativa, mesmo tendo se oferecido pa­ra depor. Com isso, comissão decidiu encaminhar ao chefe de Polícia Civil, Alan Turnows­ki, um pedido de condução coercitiva da ex-prefeita. "Ela disse que viria e daria seu tes­temunho sobre as ofertas que havia recebido dos envolvi­dos nas denúncias de venda de sentenças judiciais. Como não apareceu, teremos que usar o dispositivo da coerção para trazê-la", afirmou o presi­dente da CPI, deputado Paulo Ramos (PDT).



CPI convoca testemunhas

Para a mesma reunião, a comissão convocou ainda Cé­lio Gomes dos Santos Júnior, funcionário do escritório L. Montenegro, que é adminis­trado pelo empresário Eduar­do Raschkovsky, outro inves­tigado pela CPI. Também foi convocado o funcionário João Ferreira dos Santos, que tra­balha na casa do empresário.

A Comissão Parlamentar de Inquérito do caso convoca:. quem tiver conhecimento de qualquer negociação ou ven­da de decisões judiciais - ex­torsão e práticas ilícitas tam­bém -, e quiser ajudar a CPI a colher resultados pode entrar em contato através do núme­ro 0800 282-5888.

O sigilo é garantido, e o serviço funciona de segunda-­feira a sexta
-feira, das 8h às 17h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário